26 junho 2013

Feelings


Sentir é criar. Sentir é pensar sem ideias, e por isso sentir é compreender, visto que o universo não tem ideias.

Fernando Pessoa



"Detachment | Desapego", Aguarela e Caneta Preta sobre Papel, 29,7x21 cm, 2013



"Passion | Paixão", Aguarela e Caneta Preta sobre Papel, 29,7x21 cm, 2013

06 maio 2013

Air, Water, Earth, Fire and I

"New Life"
Aguarela e Caneta Preta sobre Papel, 29,7x21 cm, 2013



Birds flying high you know how I feel
Sun in the sky you know how I feel
Breeze driftin' on by you know how I feel

It's a new dawn
It's a new day
It's a new life
For me
And I'm feeling good

Fish in the sea you know how I feel
River running free you know how I feel
blossom in the trees you know how I feel

It's a new dawn
It's a new day
It's a new life
For me
And I'm feeling good

Dragonfly out in the sun you know what I mean, don't you know
Butterflies all havin' fun you know what I mean
Sleep in peace when day is done
And this old world is a new world
And a bold world
For me

Stars when you shine you know how I feel
Scent of the pine you know how I feel
Oh freedom is mine
And you know how I feel

It's a new dawn
It's a new day
It's a new life
For me
And I'm feeling good

Feeling Good, Song written by Anthony Newley

25 março 2013

Harmonia

"Harmonia"
Acrílico sobre Tela, 30x40 cm, 2013


"Aquilo a que chamamos felicidade consiste na harmonia e na serenidade,
na consciência de uma finalidade, numa orientação positiva, convencida
e decidida do espírito, ou seja na paz da alma."

Thomas Mann

31 janeiro 2013

Entre o Sono e Sonho

"A Magia da Noite"
Aguarela e Tinta da China sobre Papel, 40x30 cm, 2012


Entre o sono e sonho, 
Entre mim e o que em mim 
É o quem eu me suponho 
Corre um rio sem fim. 

Passou por outras margens, 
Diversas mais além, 
Naquelas várias viagens 
Que todo o rio tem. 

Chegou onde hoje habito 
A casa que hoje sou. 
Passa, se eu me medito; 
Se desperto, passou. 

E quem me sinto e morre 
No que me liga a mim 
Dorme onde o rio corre — 
Esse rio sem fim. 

Fernando Pessoa, "Entre o sono e sonho" in "Cancioneiro"

31 dezembro 2012

Identidade

"Fénix"
Lápis de cor sobre papel, 21x29,7 cm, 2012


Preciso ser um outro 
para ser eu mesmo 

Sou grão de rocha 
Sou o vento que a desgasta 

Sou pólen sem insecto 

Sou areia sustentando 
o sexo das árvores 

Existo onde me desconheço 
aguardando pelo meu passado 
ansiando a esperança do futuro 

No mundo que combato morro 
no mundo por que luto nasço

Mia Couto, "Identidade"

25 abril 2012

O Canto da Primavera


"O Canto da Primavera"
Lápis de cor sobre papel, 40x30 cm, 2012



O sol vae esmolando os campos com bôdos de oiro.
...
Almada Negreiros, in 'Frisos - Revista Orpheu nº1'

23 fevereiro 2012

Na Terra dos Sonhos...

"Sonhos a Preto e Branco"
Tinta da china (ArtPen) sobre papel, 40 x 30 cm, 2012


...
Na terra dos sonhos, podes ser quem tu és, ninguém te leva a mal
Na terra dos sonhos toda a gente trata a gente toda por igual
Na terra dos sonhos não há pó nas entre linhas, ninguém se pode enganar
E abre bem os olhos, escuta bem o coração se é que queres ir para lá morar
...
Jorge Palma


25 janeiro 2012

O Ninho

Tinta da china (ArtPen) sobre papel, 30 x 40 cm, 2012

...
Dizem que finjo ou minto 
Tudo que escrevo. Não. 
Eu simplesmente sinto 
Com a imaginação. 
Não uso o coração. 

Tudo o que sonho ou passo, 
O que me falha ou finda, 
É como que um terraço 
Sobre outra coisa ainda. 
Essa coisa é que é linda. 

Por isso escrevo em meio 
Do que não está ao pé, 
Livre do meu enleio, 
Sério do que não é, 
Sentir, sinta quem lê! 

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

01 janeiro 2012

Voar

...
Livre não sou, que nem a própria vida 
Mo consente. 
Mas a minha aguerrida 
Teimosia 
É quebrar dia a dia 
Um grilhão da corrente. 
...
Miguel Torga, 'Conquista' in 'Cântico do Homem'


"I Believe I Can Fly", Lisboa, 2010


"Free to Fly", Lisboa, 2010

28 dezembro 2011

Hoje é o dia de amanhã.

...
Hoje corre-te um rio dos olhos
e dos olhos arrancas limos e morcegos.
Ah, mas a tua vitória está em saber que não é hoje o fim
e que há certezas, firmes e belas,
que nem os olhos vesgos
podem negar.
Hoje é o dia de amanhã.
...
Fernando Namora, in "Mar de Sargaços"


"Peixe Colorido", A5, 2010

26 dezembro 2011

Fado 02


Fado 02, A5, 2011
...
O Fado nasceu um dia,
quando o vento mal bulia
e o céu o mar prolongava,
na amurada dum veleiro,
no peito dum marinheiro
que, estando triste, cantava,
que, estando triste, cantava.
...
José Régio, in 'Fado Português; Poemas de Deus e do Diabo'




21 dezembro 2011

Sketchbook

...
Original é o poeta 
que se origina a si mesmo 
que numa sílaba é seta 
noutra pasmo ou cataclismo 
o que se atira ao poema 
como se fosse ao abismo 
e faz um filho às palavras 
na cama do romantismo.
...
Ary dos Santos, "O Poema Original"


"Things", A5, 2011

"Hornbill 2", A5, 2011

18 dezembro 2011

Pontos de Vista 02

...
Ténue é o cais 
no Inverno frio. 
Ténue é o voo 
do pássaro cinzento. 
Ténue é o sono 
que adormece o navio. 
No vago cais 
do balouço da bruma 
ténue é a estrela 
que um peixe morde. 
Ténue é o porto 
nos olhos do casario. 
Mas o que em fora nos dilui 
faz-nos exactos por dentro. 

Fernando Namora, in "Cais"


"Um Pouco de Azul", Lisboa, 2010

"Vida Dura", Lisboa, 2011

"Vidas Paralelas", Lisboa, 2010

"Friends for Life", Lisboa, 2010



28 novembro 2011

Fado


Fado, Tinta da china e lápis sobre papel, A5, 2008



No teu poema
Existe um verso em branco e sem medida
Um corpo que respira, um céu aberto
Janela debruçada para a vida.

No teu poema
Existe a dor calada lá no fundo
O passo da coragem em casa escura
E aberta, uma varanda para o Mundo.

Existe a noite
O riso e a voz refeita à luz do dia
A festa da Senhora da Agonia
E o cansaço do corpo que adormece em cama fria.

Existe um rio
A sina de quem nasce fraco ou forte
O risco, a raiva, a luta de quem cai ou que resiste
Que vence ou adormece antes da morte.

No teu poema
Existe o grito e o eco da metralha
A dor que sei de cor mas não recito
E os sonos inquietos de quem falha.

No teu poema
Existe um cantochão alentejano
A rua e o pregão de uma varina
E um barco assoprado a todo o pano.

Existe um rio
O canto em vozes juntas, vozes certas
Canção de uma só letra e um só destino a embarcar
O cais da nova nau das descobertas.

No teu poema
Existe a esperança acesa atrás do muro
Existe tudo mais que ainda me escapa
E um verso em branco à espera... do futuro.

...
José Luís Tinoco

25 novembro 2011

Estrela da Tarde


"Twilight Zone", Lisboa, 2010


Era a tarde mais longa de todas as tardes que me acontecia
Eu esperava por ti, tu não vinhas, tardavas e eu entardecia
Era tarde, tão tarde, que a boca, tardando-lhe o beijo, mordia
Quando à boca da noite surgiste na tarde tal rosa tardia

Quando nós nos olhámos tardámos no beijo que a boca pedia
E na tarde ficámos unidos ardendo na luz que morria
Em nós dois nessa tarde em que tanto tardaste o sol amanhecia
Era tarde de mais para haver outra noite, para haver outro dia
...
Ary dos Santos, in Estrela da Tarde


19 novembro 2011

The Touch

Tinta da china (ArtPen) sobre papel, 40 x 30 cm, 2011

...
Recomeça....
Se puderes
Sem angústia
E sem pressa.
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.

E, nunca saciado,
Vai colhendo ilusões sucessivas no pomar.
Sempre a sonhar e vendo
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura
Onde, com lucidez, te reconheças...

Miguel Torga

18 novembro 2011

Leda - O Sonho?

Lápis de cor sobre papel rugoso, 30 x 40 cm, 2010

...
Na mitologia grega, Leda era uma jovem e bela princesa, recém-casada com Tíndaro, herdeiro do reino de Esparta. Gostava de deitar-se na relva, apreciando o canto dos pássaros e expunha seu corpo aos raios do sol, sob os olhares indiscretos dos deuses...
Certo dia, Zeus transformou-se num cisne e seduziu-a.
Dessa união, Leda chocou dois ovos e deles nasceram Clitemnestra, Helena, Castor e Pólux...

17 novembro 2011

Zebra Psicadélica

Aguarela e Tinta da China sobre papel, 30 x 40 cm, 2010

...
O poema não é o canto
que do grilo para a rosa cresce.
O poema é o grilo
é a rosa
e é aquilo que cresce.
 
Natália Correia, in "Poemas"


15 novembro 2011

28

...
O Eléctrico 28 é um verdadeiro ex-libris de Lisboa, e uma das melhores formas de conhecer a cidade.
...
Tram 28 is a real ex-libris of Lisbon and one of the best ways to explore the city.

"Sardine Can", 2010

"Reds", 2010

"28", 2011

13 novembro 2011

Poesia Urbana


...
A poesia é algo que anda pela rua. - Federico Lorca
...
Toda a poesia, e a canção é uma poesia ajudada,
reflecte o que a alma não tem.
Por isso a canção dos povos tristes é alegre
e a canção dos povos alegres é triste.

Fernando Pessoa
"Red Laundry Day", Lisboa, 2010

"Romance", Lisboa, 2009 

"Heaven's Door", Óbidos, 2008 

12 novembro 2011

Open Day

"Exit", LX Factory, Lisboa, 11.11.11


"Industrial Chic", LX Factory, Lisboa, 11.11.11


"Before I die...", LX Factory, Lisboa, 11.11.11

11 novembro 2011

Espiral de Sonhos


Lápis de cor + lápis de cera sobre papel, 30 x 40 cm, 2011


...
Teria passado a vida 
atormentado e sozinho 
se os sonhos me não viessem 
mostrar qual é o caminho

umas vezes são de noite 
outras em pleno de sol 
com relâmpagos saltados 
ou vagar de caracol

quem os manda não sei eu 
se o nada que é tudo à vida 
ou se eu os finjo a mim mesmo 
para ser sem que decida. 

Agostinho da Silva, in 'Poemas'

10 novembro 2011

Butterfly Effect


...
Passa uma borboleta por diante de mim 
E pela primeira vez no Universo eu reparo 
Que as borboletas não têm cor nem movimento, 
Assim como as flores não têm perfume nem cor. 
A cor é que tem cor nas asas da borboleta, 
No movimento da borboleta o movimento é que se move, 
O perfume é que tem perfume no perfume da flor. 
A borboleta é apenas borboleta 
E a flor é apenas flor. 


Alberto Caeiro, in "O Guardador de Rebanhos"


Vanessa Cardui - Borboleta Bela Dama


Papilio Machaon - Borboleta Cauda de Andorinha


Danaus Plexippus - Borboleta Monarca

09 novembro 2011

Metamorphosis


Acrílico sobre tela, 40 x 50 cm, 2011

...
O progresso é impossível sem mudança. Aqueles que não conseguem mudar as suas mentes não conseguem mudar nada.
...
Imaginar é o princípio da criação. Nós imaginamos o que desejamos, queremos o que imaginamos e, finalmente, criamos aquilo que queremos.

George Bernard Shaw



08 novembro 2011

À Janela


...
Não basta abrir a janela 
Para ver os campos e o rio. 
Não é bastante não ser cego 
Para ver as árvores e as flores. 
É preciso também não ter filosofia nenhuma. 
Com filosofia não há árvores: há ideias apenas. 
Há só cada um de nós, como uma cave. 
Há só uma janela fechada, e todo o mundo lá fora; 
E um sonho do que se poderia ver se a janela se abrisse, 
Que nunca é o que se vê quando se abre a janela.


Alberto Caeiro, in "Não basta"


"Tetris", Zambujeira do Mar, 2009

"Urban Poetry", Oeiras, 2009

"Blue Jeans", Lisboa, 2009

07 novembro 2011

Pontos de Vista 01


...
Também às vezes, à flor dos ribeiros,
Formam-se bolhas na água
Que nascem e se desmancham
E não têm sentido nenhum
Salvo serem bolhas de água
Que nascem e se desmancham.
Alberto Caeiro in "O Guardador de Rebanhos"

"The Door", Lisboa, 2011

"Changes", Lisboa, 2011

"Frog Song", Lisboa, 2010

"8-bit", Lisboa, 2010

06 novembro 2011

Equilibrium

Acrílico sobre Tela, 30 x 30 cm, 2011
...
De quem é o olhar
Que espreita por meus olhos?
Quando penso que vejo,
Quem continua vendo
Enquanto estou pensando?


Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"



05 novembro 2011

Estados D'Alma

...
Temos, todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra vida que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada.


Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"


"Perdido na Tempestade", Lisboa, 2010


"Hey You", Lisboa, 2009


"Vida de Cão", Zambujeira do Mar, 2010